Retomando a nossa série “Por que ser engenheiro no Brasil?”, o assunto agora é Engenharia Elétrica. A graduação, recheada de cálculos e com alto grau de dificuldade, é compensada com um vasto campo de atuação após o diploma, que não se resume à geração, transmissão, transporte e distribuição de eletricidade.

O mercado tem guardado ótimas novidades para os formados nessa habilitação graças aos grandes investimentos do governo para expandir a distribuição de energia elétrica no Brasil e, assim, manter o crescimento da economia. Mas não é só isso. Continuar lendo