Passar grande parte do tempo trabalhando faz parte da rotina da maioria das pessoas. Salário compensador e reconhecimento são pré-requisitos cruciais para a busca de um emprego, mas a grande parte dos profissionais da atualidade também quer se sentir bem onde labora, afinal competência e superação profissional estão intimamente interligadas a um local de trabalho saudável.

Não estamos falando aqui somente de saúde ocupacional ou estrutura física. Seja qual for o negócio, proporcionar um ambiente em que as dimensões racional, afetiva, social, física e espiritual de cada colaborador sejam equilibradas e inspiradas é garantir altos índices de produtividade e satisfação individual e coletiva.

É por esses e outros motivos que as organizações devem se atentar para o bem-estar de sua equipe e tratar o ambiente de trabalho agradável como um direito de todo profissional. Para alcançar essa excelência, os gestores precisam se colocar no lugar de seus colaboradores e responder cinco perguntas básicas:

1.       Para que acordo todos os dias?
2.       Quais os valores que norteiam minha vida?
3.       Você tem energia suficiente como gostaria?
4.       Como aproveita seu tempo no trabalho e no lazer?
5.       Quais são seus talentos naturais?
6.       Com quem você conversa e sobre o quê?

Esses questionamentos são subjetivos, mas eficientes para nortear o quão satisfatório é o local de trabalho que está sendo proporcionado pela empresa. Se as respostas às perguntas foram medianas ou até mesmo negativas, é hora de ficar em alerta quanto à saúde da sua equipe.

Reverter situações críticas é mais simples do que parece, pois mudanças corriqueiras e criativas podem render ótimos frutos a curto e longo prazo. Uma troca de sala, uma reunião de aniversariantes, gratificações e até dinâmicas de grupo periódicas são interessantes para fazer com que o seu colaborador se sinta motivado sem, é claro, interferir nas regras já estabelecidas.

Indispensável também é observar a postura profissional, já que o equilíbrio entre produtividade e bem-estar se faz dentro e fora do trabalho.

Ao colaborador é necessário modificar a forma de encarar as tarefas na empresa e se entreter com outras atividades que também proporcionem prazer. À empresa cabe valorizar a função de cada membro da equipe de forma inovadora, com a certeza de que esse investimento renderá resultados tanto nos níveis de produtividade como de lucratividade.